Apesar de algumas funcionalidades utilizarem javascript você poderá navegar normalmente pelo site.

CRISE HÍDRICA

Em Comissão Geral, Câmara debate Pacto pela Água e estratégias para enfrentar o desabastecimento

Coordenador do Grupo de Trabalho que discute a crise hídrica na Casa, Chico Leite ressaltou a necessidade de todos se unirem em prol de construir soluções para contornar os efeitos da crise e ações eficazes para combater a grilagem de terra


25/02/2017
Thiago Alves

Comissão Geral realizada na Câmara Legislativa na quinta-feira (23), intitulada “O Estresse Hídrico no Distrito Federal”, teve como principal objetivo debater a atual crise hídrica pela qual passa a cidade. Por iniciativa dos deputados Chico Leite (Rede Sustentabilidade), Joe Valle (PDT) e Telma Rufino (PROS), o evento reuniu representantes do Governo do Distrito Federal (GDF) e do Governo Federal, além de especialistas da área e interessados no tema para discutir as ações necessárias para amenizar os efeitos da crise e se programar para evitar que o problema volte a acontecer.

Para o coordenador da Frente Parlamentar Ambientalista na Casa, deputado Chico Leite, esse não é o momento de buscar culpados e, sim, de nos unirmos em prol de encontrarmos alternativas para contornar a crise. “Vivemos o momento de todos assumirmos a responsabilidade para a solução do problema, porque as consequências pesam sobre todos nós”, ressaltou. Ele destacou também a importância de elevar a eficiência da Caesb, evitar o desperdício de água e ampliar as ferramentas de fiscalização, haja vista a necessidade de construir alternativas para evitar que a grilagem de terra continue a prosperar no DF. “Ou nós assumimos a luta e compreendemos que o grileiro de terra é um criminoso ou continuaremos vendo nossa cidade ser consumida pelos seus inimigos”, destacou.

O debate foi feito com a participação da presidente da Agência de Fiscalização (Agefis), Bruna Pinheiro, do secretário de Meio Ambiente, André Lima, do secretário de Agricultura, José Guilherme Tollstadius Leal, do presidente da Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento Básico (Adasa), Paulo Salles, além de representantes da Caesb e de outros órgãos. Para André Lima, a crise vivenciada na cidade é resultado de irresponsabilidade e descaso de governos nos últimos 25 anos. Para ele, o assunto não deve ser politizado pois é do interesse de todos. Lima destacou, ainda, que faltou cobrança por parte da população para que o governo tomasse as medidas necessárias para evitar a atual crise.