Apesar de algumas funcionalidades utilizarem javascript você poderá navegar normalmente pelo site.

DEFESA DA EDUCAÇÃO

Chico Leite defende a manutenção das unidades do Instituto Federal de Brasília (IFB)

Em Audiência Pública, o parlamentar destacou a importância do ensino técnico para a entrada dos jovens no mercado de trabalho. “A falta de recursos para manter o IFB em funcionamento representa um grande retrocesso, justamente num momento em que atravessamos uma crise econômica, com 14 milhões de desempregados”, explicou


12/05/2017
Cleudson Fernandes
Defensor da educação pública de qualidade, o deputado Chico Leite (Rede Sustentabilidade) participou, na terça-feira (9), da Audiência Pública realizada na Câmara Legislativa para debater o contingenciamento de recursos orçamentários que vem prejudicando as atividades do Instituto Federal de Brasília (IFB). Um dos realizadores da audiência, o parlamentar defendeu a manutenção dos repasses do Governo Federal para assegurar o pleno funcionamento de todas as unidades do IFB.

Chico Leite destacou a impossibilidade da realização de convênios entre o Governo do DF e o IFB, após diversas tentativas de destinação de recursos propostos pelo Orçamento Participativo de seu mandato para a manutenção das unidades do instituto federal. “O ensino técnico é de fundamental importância para a entrada dos jovens no mercado de trabalho de forma qualificada. A falta de recursos para manter o IFB em funcionamento representa um grande retrocesso, justamente num momento em que atravessamos uma crise econômica, que gerou 14 milhões de desempregados”, explicou.  

O contingenciamento de recursos orçamentários que vem prejudicando as atividades do Instituto Federal de Brasília (IFB) foi imposto, há pouco mais de um mês, pelo Ministério do Planejamento. A partir disso, o Ministério da Educação repassou aos reitores dos institutos federais de todo o País a determinação para planejarem a readequação de seus orçamentos, cortando o que for possível. Este ano o IFB perdeu mais de R$ 7 milhões. O orçamento do Instituto passou de R$ 29,9 milhões em 2016 para R$ 22,1 milhões em 2017, comprometendo serviços e investimentos.

IFB - Foi criado em dezembro de 2008, passando a compor a Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica, existente em todo o Brasil. Oferece educação profissional gratuita, na forma de cursos e programas de formação inicial e continuada de trabalhadores, educação profissional técnica de nível médio e educação profissional tecnológica de graduação e de pós-graduação, articulados a projetos de pesquisa e extensão. O IFB é composto por uma reitoria e 10 campi distribuídos pelo Distrito Federal: Brasília, Ceilândia, Estrutural, Gama, Planaltina, Riacho Fundo, Samambaia, São Sebastião, Taguatinga e Taguatinga Centro. Juntas, essas unidades atendem cerca de13 mil alunos, que ingressam no Instituto por meio de sorteio público.


    

Por: Tiago Monteiro Tavares